quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Metro sobre rodas

Agora que normalmente me desloco com rodinhas em anexo (entenda-se: carrinho de bebé), todas as movimentações "não-carro" começaram a tornar-se um desafio que até aqui eu ignorava.
Há dias tive a feliz ideia te ir até ao El Corte Ingles, de Metro, pois claro, que continuo a achar uma loucura enfiar-me num carro para ir para o centro de Lisboa, principalmente havendo transportes públicos.
Questionei-me logo à partida sobre a acessibilidade do Metro, mas pensei cá para mim: "Estações recentes, modernas, têm que ter elevador. E com tanto movimento, com certeza há-de haver pelo menos um em funcionamento em cada estação."
Obviamente, esqueci-me que estamos em Portugal e portanto foi com isto que mais me deparei em Estações bem centrais e utilizadas como a Baixa Chiado cujo único elevador para a plataforma lá estava parado, de portas abertas, ou a Alameda, em que os dois elevadores estavam fora de serviço (fotos abaixo):



Não havendo elevadores na Alameda, foi com esta subida (na ida) e descida (no regresso) que me deparei.



Felizmente não estava sozinha e toca de acartar com o carrinho + bebé pelas escadas acima e escadas abaixo, em várias estações. Pelo caminho lá nos cruzámos com alguns outros desgraçados que também acharam que era boa ideia andar no metro, sobre rodas.
Questiono-me até agora o que fará uma pessoa sozinha com um bebé. Ou pior, e alguém de cadeira de rodas? Porque chegados à estação, não há forma de prosseguir caminho nem de voltar para trás. Haverá algures pelas plataformas uma sala de espera onde os deslocados sobre rodas podem acampar durante dias, à espera do arranjo dos elevadores? Ou quem sabe o Metro tenha contratado uns senhores muito muito grandes e fortes, para carregar com as pessoas escadas acima? A mim dava-me jeito um desses senhores para ir às compras...! E claramente para andar no Metro de Lisboa.
Com esta experiência, agora hesito voltar à baixa de Lisboa de Metro, porque se for sozinha, corro o risto de o meu marido chegar a casa e ficar uns dias à espera de mim e da filha.
Definitivamente, o Metro de Lisboa não anda sobre rodas.

1 Comments:

  • Cara Carla,
    vivo no norte do país e experimentei no ano passado pela primeira vez o Metro de Lisboa. Jurei que nunca mais.
    Desloco-me em cadeira de rodas eléctrica e no ano passado decidi ir ao Rock in Rio. Consultei a informação na Internet e dizia que as estações de metro do Oriente da da Bela Vista tinham "acessibilidade plena". A da Bela Vista tinha sido inclusive remodelada há relativamente pouco tempo.
    Tretas! Quando cheguei, quer a uma, quer à outra, tinha um desnível superior a 20cm para entrar nos veículos.
    Se tivesse ido sozinho, bem ficava em terra pois levantar uma cadeira de 250Kg não é fácil.

    Neste país o que interessa é tirar uma boa fotografia para iludir as pessoas. O resto é secundário.

    By Blogger megazo, at 2:25 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home